Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

É Desporto

É Desporto

19 de Maio, 2020

Ulrike Meyfarth. A idade não interessa mesmo para nada

Rui Pedro Silva

Ulrike Meyfarth.jpeg

Glória olímpica começou nos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972, quando se tornou a campeã mais nova de sempre do atletismo. Em Los Angeles-1984 voltou a ganhar a prova de salto em altura e garantiu também o título de mais velha campeã na disciplina, ainda que não tenha durado muito.

Falar de Ulrike Meyfarth é falar também de prematuridade. A atleta da República Federal da Alemanha saltou para a ribalta com apenas 15 anos, em 1971, e chegou aos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972, com remotas hipóteses de conseguir lutar pelo pódio.

Mas, como é habitual, as grandes histórias também se escrevem a partir do inesperado. Com um máximo pessoal de 1,85 metros, Ulrike aproveitou o ímpeto do público para ir buscar motivação extra e manteve-se na luta pelo pódio até passar os 1,92 metros à primeira, numa altura em que já era campeã olímpica – a búlgara Yordanka Blagoeva e a austríaca Ilona Gusenbauer falharam os três saltos aos 1,90 metros.

Meyfarth tinha a vida desportiva pela frente mas estagnou. Quando competia, mostrava resultados pouco animadores, insuficientes para vencer medalhas – fosse em que prova fosse. Depois de falhar a final do salto em altura em Montreal-1976, nem sequer teve a oportunidade de competir em Moscovo-1980, devido ao boicote que muitos dos países ocidentais fizeram.

Quando regressou ao palco olímpico, em Los Angeles-1984, Ulrike Meyfarth já tinha 28 anos e parecia estar numa fase ascendente. Foi campeã europeia ao ar livre e em pista coberta em 1982 e assegurou a medalha de prata nos primeiros Mundiais da história, em Helsínquia-1983. Nos Estados Unidos, e sem as grandes rivais de leste, Meyfarth podia ambicionar algo mais.

A italiana Sara Simeoni era a maior rival na teoria e esse equilíbrio demonstrou-se na pista, com concursos perfeitamente iguais até ambas passarem a fasquia aos dois metros que, na altura, representou um novo recorde olímpico.

Numa luta a dois, já que a norte-americana Joni Huntley tinha ficado pelo caminho com três nulos nos dois metros, Ulrike Meyfarth voltou a saborear o céu ao superar os 2,02 metros na primeira tentativa, fixando o recorde olímpico. Simeoni fez três saltos nulos e abriu caminho para que a germânica fizesse história.

Aos 28 anos, Ulrike Meyfarth juntou o feito de mulher mais jovem de sempre a conquistar uma medalha de ouro numa prova de atletismo ao de mais velha a vencer o salto em altura. Durou apenas quatro anos, é certo, mas coroou com a chave de ouro (literalmente) o fim da sua carreira desportiva.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.