Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

É Desporto

É Desporto

18 de Março, 2020

Arthur Wint. A semente que deu frutos como Usain Bolt

Especial Jogos Olímpicos (Londres-1948)

Rui Pedro Silva

Arthur Wint

Não há jamaicano como Bolt. Entre 2008 e 2016 dominou o cenário da velocidade nos Jogos Olímpicos e despediu-se como um dos melhores de sempre. Mas em 1948, 38 anos antes de nascer, houve Arthur Wint. Foi ele o primeiro jamaicano a ser campeão olímpico numa prova de velocidade (400 metros).

Foi uma estreia de sonho. A Jamaica participou numa edição dos Jogos Olímpicos pela primeira vez e o atletismo, como sempre desde então, prometia medalhas para a comitiva caribenha. Os especialistas encaravam Herb McKenley como o candidato mais forte a fazer história para a Jamaica, na final dos 400 metros, mas foi Arthur Wint quem surpreendeu… quase toda a gente.

McKenley terá sido dos poucos a afirmar que a aposta mais segura para a medalha de ouro na prova era Wint, um velocista de 28 anos, filho de uma escocesa e que estudara em Inglaterra, já depois de ter combatido como piloto na II Guerra Mundial.

Wint e McKenley foram superando eliminatórias dos 400 metros sem dificuldades até ficaram frente-a-frente na final. A vitória chegou com um recorde olímpico igualado (46,2 segundos) e numa corrida feita em recuperação, já que McKenley era famoso pelas suas partidas muito fortes.

De um momento para o outro, a Jamaica entrou no medalheiro olímpico com duas medalhas. Mas não se ficou por ali. Wint acumulou também uma medalha de prata nos 800 metros e queria, juntamente com McKenley, Leslie Laing e George Rhoden, somar novo título na estafeta dos 4x400 metros. Infelizmente, uma lesão muscular impediu-o de terminar o seu percurso e a Jamaica não completou a prova.

As sementes do sucesso jamaicano nos Jogos Olímpicos estavam plantadas e as edições que se seguiram confirmaram a tendência para as medalhas no atletismo. Logo em 1952, Wint contribuiu com mais duas (ouro na estafeta e nova prata nos 800 metros). Hoje, as contas são esmagadoras: a Jamaica tem 78 medalhas olímpicas e apenas uma não foi nessa modalidade: David Weller aproveitou o boicote ocidental aos Jogos de Moscovo em 1980 para vencer uma medalha de bronze no ciclismo de pista, na prova de um quilómetro.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.